Túnel do Tempo

1744

Chega á região do bandeirante paulista Simão da Cunha Gago. Vem junto o padre Felipe Teixeira Pinto, antigo vigário de Aiuruoca – MG, cidade onde a caravana saiu. Devoto de Nossa Senhora da Conceição, o padre traz consigo uma imagem da santa.

1745

Por sugestão do padre Felipe, esta região passou a chamar-se Nossa Senhora da Conceição e, acrescentando – se aspectos histórico topográficos, ficou Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre da Paraíba Nova.
A seguir, o padre Felipe teve permissão e instalou um altar móvel para ministrar os sacramentos, na área do atual bairro Montese, ponto chegada do bandeirante, enquanto não se construía uma capela.

1747

Este ano, dia 12 de maio, registra a data de instalação da primeira capela curada e em louvor a Nossa Senhora da Conceição. Construída com pedra e barro, mais tarde ampliada com paredes de pau–a–pique, localizada onde hoje se encontra o colégio Dr. João Maia, centro da cidade.
Sendo a primeira missa rezada pelo padre Felipe, a 25 de maio.

1748

Ocorre neste ano o primeiro incêndio na capela curada, com a mesma ainda em construção.

1756

A 02 de janeiro a capela curada é elevada a categoria de Matriz.

1765

No dia 13 de dezembro, o padre Felipe Teixeira Pinto é nomeado primeiro pároco da Matriz, sendo muito felicitado pelos fiéis que temiam a sua volta para Aiuruoc, cidade de onde viera.

1801

A 29 de setembro, a freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Campo Alegre da Paraíba Nova é elevada á categoria de vila, com o nome de Resende, em homenagem ao vice – rei do Brasil, Dom José Luis de Castro - Conde de Resende.

1812

Inicia-se a edificação da igreja Matriz, sendo o primeiro taipeiro (trabalha com taipa, antigo processo de construção) Ângelo Mariano da Silva. A exemplo de outras obras, o trabalho braçal foi realizado por escravos.

1823

Conclusão dos trabalhos de taipa da igreja, tendo por mestre de obras Benedito Ribeiro Mendes, negro especialista em seu ofício, em Minas Gerais.

1825

Da corte, vem, para trabalhar na obra, o entalhador Ignácio Ferreira Pinto. Construção administrada por voluntários, entre outros o padre Joaquim Pereira Escobar, natural do Rio Grande do Sul.

1827

O telhado da Matriz é coberto com telhas doadas pelo Padre Mariano José da Rocha, próspero fazendeiro na área do atual Campos Elíseos.

1831

A 16 de maio é realizada a transladação do santíssimo Sacramento, da capela primitiva para a Matriz.

1832

A 18 de dezembro, o vigário e as irmandades realizam grande festa para comemorar o ato da igreja ser benzida.
Inaugura–se o cemitério Senhor do Passos e cessam os sepultamentos até então realizados no interior e arredores da Matriz.

1836

Alguns fazendeiros reclamam, mas neste ano, foi ratificado as ordem que aos suicidas era proibida os sacramentos fúnebres e até mesmo o tanger dos sinos anunciado a morte. Para eles, as portas da Matriz e outras igrejas não eram abertas.

1840

Sob a supervisão do Padre José Marques da Motta , instala – se na Matriz uma escola noturna de primeiras letras para adultos. O padre foi benemérito da Matriz, Santa Casa e outras obras.

1848

Realiza–se, solenemente, no dia 27 de agosto, na Matriz, Te-Deum alusivo ao ato histórico de elevação da vila de Resende á categoria de cidade.

1849

A ocupação do prédio inacabado da casa da Câmara e cadeia. Os trabalhos do tribunal do júri alistamento militar e eleitoral, realizadas na Matriz, são transferidos para aquele novo espaço público.

1856

É fixado, na entrada da Matriz, um cartaz proibido que os fiéis entrassem naquela casa santa armados com porretes, facas, punhais e armas de fogo.

1858

O violento temporal do dia 15 de novembro destruiu um pavilhão da Santa Casa e arrancou o sino da torre do lado esquerdo, que foi cair no início da rua direita, atual 15 de novembro.

1864

O padre Felipe de Mello e fiéis realizam na Semana Santa, a primeira procissão do Encontro da paróquia, com mais de duas mil pessoas. O cortejo percorreu várias ruas da cidade, acompanhando por um pelotão da Guarda Nacional e três bandas de música.

1865

É realizada na Matriz comovente celebração para a despedida dos voluntários da guerra do Paraguai e seus familiares. Eles partiram de barco para a frente do batalhão, através da navegação fluvial do rio Paraíba do Sul até Barra do Piraí.

1868

Em grande estilo, é recepcionada a família imperial Conde D’eu e a Princesa Izabel. Na Matriz, a princesa é saudada por alunas da professora Bernarda Brandão, a cantora sacra Emília Santa Rosa e grande público.
Uma das irmandades solicitou e conseguiu de Vossa Alteza significativa ajuda financeira para as obras da igreja e para a Santa Casa de Misericórdia.

1869

Organiza–se, na Matriz, a coleta de alimentos para os presos da cadeia local, por causa do impasse entre a Câmara e a Santa Casa que atendia os detentos.

1872

Passando, por Resende, o Imperador Dom Pedro II visita a Matriz e toma conhecimento das dificuldades para seguimento das obras de remodelação do templo. O monarca despachou no sentido da Matriz que recebeu ajuda financeira através da loteria imperial.
No dia 11 de setembro, é colocado o galo na torre do lado direito. No mês seguinte, parte da torre desabou, levando junto o galo recém instalado.

1873

O galo do lado esquerdo (lado do evangelho) foi afixado no dia 23 de janeiro, com a presença de muitos curiosos.

1874

Por iniciativa de Dona Efigênia Brandão do Vale, é construída a rústica muralha de arrimo da Matriz.

1875

Maria Benedita Gonzáles Martins “a rainha do café em Resende “, espetacular festa do divino com disputada carvalhada. A exemplo de outras oportunidades, a fazendeira destinou toda a renda apurada as obras da Matriz.

1876

A prática musical da Matriz fica enriquecida com a chegada de vistoso harmônio (órgão), doado pelo Comendador Antônio José Dias Carneiro. Ele Foi benemérito para obras de todas as igrejas e da Santa Casa.

1877

Reconstruída a parte da torre e recolocado o galo do lado direito no dia 23 de janeiro.
Em junho deste ano, ficou concluído o trabalho de remodelação da fachada, durante a festa de São Sebastião, promovida por Maria Benedita, a rainha do café.

1883

Eleito deputado provincial, o fazendeiro Albino de Almeida consegue inserir no orçamento substancial ajuda financeira para a Matriz Santa Casa.

1889

O clima ficou tenso, até com envolvimento da polícia, porque o vigário se recusou a devolver a imagem de São Benedito, emprestada pela irmandade do Rosário para sair em procissão na Matriz. Os negros apelam por escrito á princesa Izabel. O padre devolve a imagem mas cobra uma taxa.

1890

Por iniciativa de Efigênia Bitencourt, é construída a escada de acesso ao portal da Matriz, substituindo a escada primitiva com degraus irregulares. Foi também construída a muralha de arrimo em torno da igreja.

1892

Casa–se, na Matriz, o jornalista José Alfredo Sodré com Silvia de Sá Macedo Carvalho. Ele foi provedor, por mais de vinte anos, da irmandade do Santíssimo e atuante colaborador da paróquia.

1901

A 29 de setembro, realiza–se concorrida celebração da missa alusiva ao centenário de elevação da freguesia de N. S. da Conceição do Campo Alegre da Paraíba Nova, á categoria de vila, no histórico 29 de setembro de 1801.

1902

A zeladora Maria Antonieta da Silva Fonseca doa, para a Matriz, a imagem do Sagrado Coração.

1904

O vigário Cônego Bulcão adquire o prédio n: 01, da praça do Centenário, destinando–o á casa paroquial.

1905

Ciceroniados pelos doutores Oliveira Botelho, Alfredo Whately e outras autoridades, visita a Matriz o casal Dr. Nilo Peçanha e sua esposa Anita Belisário. Eles vieram para a inauguração da ponte metálica, dia 16 de abril (Domingo de Ramos), obra benzida pelo Cônego Bulcão.

1908

O empresário José Mega Miguel manda construir a escadaria de mármore da Matriz, trabalho artístico executado por Xisto Pelini, marmorista com oficina em Campos Elíseos; custou 7:500$

1911

A Matriz recebe a 12 de abril, a visita do Presidente da República, general Hermes da Fonseca, hóspede do Dr. Mário de Paula, presidente da Câmara Municipal.

1912

Dona Celestina de Paula doou um sino para a igreja, que veio em boa hora, porque um raio havia danificado o sino antigo.

1913

É colocado, na torre do lado esquerdo, o grande sino doado pelo empresário José Mega Miguel, pesando cerca de 300 quilos.

1914

No mês de janeiro, começam a florescer as primeiras roseiras do jardim do largo da Matriz, recém inaugurado pelo engenheiro Antonio de Souza Pereira Botafogo que mandou remodelar o largo.
O Dr. Botafogo (carioca) foi o primeiro prefeito de Resende.

1915

Por sugestão do Cônego Bulcão, realiza – se a primeira romaria da paróquia á Basílica de Nossa Senhora, em Aparecida do Norte – SP. A viagem de trem reuniu 540 romeiros, com mais de uma centena de crianças, e diferentes irmandades.

1919

No dia 21 de janeiro é introduzida na igreja Matriz, a imagem de São Vicente de Paula, doada pelos vicentinos.

1920

Inauguram–se festivamente os trabalhos de remodelação da Matriz, realizados através de subscrição popular, tendo em D. Celestina Nogueira de Paula a maior colaboradora.

1922

Celebra–se no dia 22 a missa de corpo presente do saudoso Cônego Bulcão. A orquestra regida pelo maestro Julio Sampaio, entre forte emoção dos presentes, executou a composição Missa Fúnebre.

1928

A Matriz recebe, com celebração especial, a imagem de santa Terezinha, junto com a visita do bispo D. Guilherme Muller, Diocese de Barra do Piraí. São crismadas, na cidade, 485 crianças e, em São Vicente Ferrer (Fumaça), 135.

1931

É instalado o relógio (torre do lado esquerdo), doado pelo empresário Roque de Santis, por solicitação do vigário Padre Sandrup.

1932

Estando em Resende para visitar a tropa Revolucionária acantonada, principalmente na região de Itatiaia, o presidente Getúlio Vargas e o Ministro da Guerra vão á igreja Matriz. Mesmo sem ser solicitado, o presidente faz doação financeira para o templo.

1945

No dia 22 de agosto, por causa ignorada, ocorreu o terceiro e o mais violento incêndio da igreja Matriz. Apesar dos esforços da população e de voluntários de cidades vizinhas a construção ficou arrasada, ficando em pé somente a fachada com as duas torres.
Nota:
Segundo matéria publicada no jornal A Lyra, foram os alunos do colégio Dr. João Maia que primeiro avistaram o incêndio, ao saírem das aulas ás 13 h daquele dia fatídico.

1946

Início da reconstrução do templo, através de subscrição popular (bingos, esmolas, barraquinhas, promessas...).

1947

Na manhã do dia 22 de agosto, realiza–se a primeira missa no templo ainda em obras.

1950

A primeiro de maio é introduzida na Matriz a nova imagem de Nossa Senhora da Conceição. Veio de São Paulo e trazida em procissão com cadetes da Academia Militar das Agulhas Negra, autoridades civis e religiosas e centenas de fiéis, sendo a seguir benzida. Para aquela celebração a professora D. Mariúcha compôs e declamou inspirado poema.

1954

Solene consagração do novo templo, realizada a 21 de agosto, com missa pontificial na manhã do dia seguinte.

1967

No dia 10 de dezembro, realizou–se festivamente a sagração dos novos sinos da Igreja Matriz.

1968

Dezembro, dia 21, registra a bênção da casa paroquial (reconstruída), na praça do Centenário, antigo Largo da Constituição.

2004

Cinqüentenário da Reconstrução da Igreja Matriz, Vítima do pavoroso incêndio ocorrido a 22 de agosto de 1945 e que a destruiu.