Pastoral da Saúde

A Pastoral da Saúde é uma das Pastorais Sociais da CNBB.

Fundamentos da Pastoral da Saúde

Todos, sem exceção, são chamados a proporcionar qualidade de vida e denunciar tudo que impede o desabrochar desse dom precioso de Deus, como fez Cristo, que disse:

“Eu vim para que todos tenham vida, e a tenham em abundância” ( JO. 10,10).

“ A sáude é o completo bem-estar físico, psíquico, social (espiritual) e não apenas a ausência de doença ou enfermidade.” (Organização Mundial da Saúde)

Objetivo Geral

Evangelizar com renovado ardor missionário o mundo da saúde, à luz da opção preferencial pelos pobres, enfermos e sofredores, participando da construção de uma sociedade justa e solidária a serviço da vida, sinal do Reino de Deus.

Objetivos Específicos

  • Sensibilizar a Igreja e a sociedade a respeito do sofrimento.
  • Zelar pela humanização e evangelização do ambiente hospitalar, visando ao bem estar de todos os que nele se encontram.
  • Participar ativa e criticamente nas instâncias oficiais que decidem a política de saúde do Município.
  • Apoiar e criar espaços de luta política e solidariedade em favor da vida, valorizando as organizações populares e suas iniciativas.
  • Celebrar nas instituições de saúde e comunidade datas significativas relacionadas com o mundo da saúde.
  • Conscientizar a comunidade a respeito do direito à saúde e o dever de lutar por condições mais humanas de vida.
  • Incentivar e desenvolver a formação e a capacitação contínua dos agentes da Pastoral da Saúde, nos aspectos humanos, técnicos, éticos e cristãos.
  • Valorizar a Vida como um dom de Deus.

O que é a Pastoral da Saúde?

É a ação evangelizadora de todo o povo de Deus comprometido em promover, preservar, defender, cuidar e celebrar a vida, tornando presente no mundo da saúde a ação libertadora de Jesus, nas seguintes dimensões:

A - Dimensão Solidária – busca a vivência e a presença samaritana junto aos doentes e sofredores nos hospitais, domicílios e comunidades, atendendo o ser humano integralmente nas suas dimensões: física, mental, social e espiritual.

B – Dimensão Comunitária – visa implementar ações de prevenção e de promoção em saúde, relacionando-se com instituições da área de saúde pública e desenvolvendo projetos afins. Procura valorizar o conhecimento, a sabedoria e a religiosidade popular em relação à saúde.

C – Dimensão Político-Institucional – atua junto aos Órgãos e Instituições Públicas e Privadas que prestam serviços e formam profissionais na área da saúde. Zela para que haja reflexão Bioética, formação ética e uma política de saúde sadia, participando ainda dos Conselhos de Saúde Municipais.

Diretrizes da Pastoral da Saúde

São princípios básicos que regem e norteiam a mística e dinâmica da Pastoral da Saúde diocesana e paroquial.

1. Vivência daquilo que a pastoral é em sim mesma.

Pastoral significa ministério, serviço, doação, disponibilidade, renúncia, abertura para o outro.
“Eu não vim para ser servido, mas para servir” (MT 20, 28)
Deixar-se cativar pelos que sofrem – eis a grandeza da Pastoral da Saúde.

2. Respeito pela dignidade da pessoa humana.

Consiste em ver o ser humano como filho de Deus e sujeito de sua história pessoal e comunitária, independentemente de sua situação física, social, mental e espiritual.

3. Eclesialidade.

A Pastoral da Saúde é eclesial porque:

  • visa tornar presente a Igreja no setor da saúde;
  • deve trabalhar em sintonia com as Diretrizes da Igreja;
  • deve integrar-se com as demais Pastorais.

4. Especificidade.

A Pastoral da Saúde é “sui generis”, é especial no seu exercício de pastoreio em busca da saúde e não de religião. Isso exige dos agentes: perspicácia, rapidez, paciência, sabedoria e misericórdia.

5. Globalidade.

É necessário que se cuide da pessoa toda.
Na visão bíblica o ser humano é apresentado como uma unidade viva e profunda, expressa por termos distintos, mas que não se contrapõem, ao contrário, se integram.

6. Valorização das mensagens e atitudes de Jesus Cristo junto aos doentes.

A compaixão de Jesus para com aqueles que sofrem é tão grande que o próprio Cristo se identifica com eles: “Estive enfermo e me visitastes” (MT 25,26)
A reflexão, a meditação e a vivência dos ensinamentos de Jesus Cristo acerca dos que sofrem devem estar entre as linhas prioritárias dos trabalhos da Pastoral da Saúde.

7. Espiritualidade.

A oração pessoal, freqüente e perseverante leva o agente da Pastoral da Saúde ao conhecimento profundo de Deus, faz penetrar e viver as maravilhas de sua graça. Falar de Deus aos que sofrem é importante, mas antes é preciso falar com Deus.
A intimidade com Deus é fundamental e indispensável para a eficácia do trabalho apostólico.

8. Atualização constante.

É necessário renovar-se constantemente no coração e na mente. Para a pastoral da Saúde, a renovação nos métodos, na linguagem e no espírito vem com a participação nos encontros, dias de estudo e retiros, para que não se torne envelhecida, enfraquecida e atrofiada.

9. O sofrimento, a dor e a morte têm dimensão nova, vistos em perspectivas de fé e eternidade.

A dor, os sofrimentos, as doenças ganham sentido à medida que dermos sentido à própria vida.
Jesus após a Ressurreição, no encontro com os discípulos de Emaús, convida à reflexão e à meditação.

10. Bom relacionamento: o segredo do sucesso.

A subsistência do trabalho apostólico depende do bom relacionamento de seus agentes:

  • O Grande Princípio do Relacionamento: O respeito pela dignidade da pessoa humana.
  • A Grande Técnica: Partir de onde está a pessoa, o grupo, a comunidade: sua religião, cultura, aspirações, necessidades e preconceitos.
  • O Grande Meio: Saber escutar a pessoa, o grupo, a comunidade.

Agentes da Pastoral da Saúde

Por agentes da Pastoral da Saúde entendemos as pessoas que, sob a orientaçãodo paroco e em nome da comunidade eclesial, se colocam a serviço dos enfermos, quer em domicílio, quer no hospital.

Qualidades e Requisitos dos Agentes

A) O agente deve ter:
  • Equilíbrio emocional.
  • Bom relacionamento.
  • Espírito cooperativo.
  • Boa reputação.
  • Adequado preparo cultural.
  • Bom conhecimento da doutrina cristã.
  • Gosto pelas coisas de Deus.
B) O agente deve saber:
  • Trabalhar em equipe.
  • Ser Acolhedor, bom ouvinte e paciente.
  • Descobrir e respeitar os valores dos doentes e de seus familiares.
  • Mostrar ao doente que toda a comunidade está interessada na sua recuperação.
  • Preparar o enfermo e seus familiares para a visita do pároco.
  • Mostrar humildade, gratuidade e mansidão com os doentes.
  • Encontrar tempo para meditação e oração pessoal.
C) O agente não deve se omitir de:
  • Participar dos encontros, retiros espirituais, reuniões.
  • Participar dos cursos de reciclagem.
  • Cumprir com lealdade e retidão as tarefas estabelecidas na Pastoral.
D) O agente deve compreender que:
  • Trabalhará gratuitamente.
  • A paciência, a misericórdia são virtudes que não podem faltar no pastoreio do dia-a-dia.
  • O espírito de eclesialidade e de integração com as demais Pastorais é exigência evangélica e necessária para o frutuoso desempenho da Pastoral da Saúde.

Pastoral da Saúde na Paróquia

A paróquia, também nas atuais condições sociocivis, continua a ser a forma principal da missão da Igreja na vida das pessoas.
Nesse sentido, a pastoral paroquial tem como grande objetivo contribuir para a promoção, prevenção e recuperação da saúde de todas as pessoas da comunidade paroquial, para que tenham vida em abundância, e assim se concretize o Reino de Deus no mundo.

Objetivos da Pastoral paroquial

  • Conscientizar o povo sobre seus direitos à vida.
  • Ajudar o povo a ser agente de sua saúde e não objeto de cuidado.
  • Capacitar o povo para desenvolver ações básicas de saúde.
  • Organizar e incentivar o povo a reivindicar seus direitos e assumir suas obrigações.
  • Recuperar e revalorizar a sabedoria popular, sua fé e sua religiosidade.
  • Centrar todo esforço na educação transformadora, a partir da comunidade sob o critério de três dimensões: justiça, solidariedade e mística.
  • Preparar agentes para anunciar a Boa Nova.
  • Educar na oração como solicitação confiante de ajuda e de sustento no momento de sofrimento.
  • Proporcionar assistência espiritual aos enfermos internados e em domicílio.

Principais atividades

  • Reunião mensal.
  • Preparar a visita do padre à casa do doente quando este solicita.
  • Presença efetiva e freqüente do agente na casa do doente, no hospital.
  • Visitas aos doentes nas famílias.
  • Estar presentes nas ocasiões de luto na família do doente assistido pela Pastoral da Saúde.
  • Procurar envolver a comunidade em temas relacionados com as doenças, ou relacionados com saúde.
  • Levar a comunidade a tomar consciência de seus direitos e deveres quanto à sua saúde e melhores condições de vida.
  • Ajudar as pessoas a assumir a responsabilidade por sua própria saúde e pela de seus irmãos.
  • Promover Celebrações e Missas da Saúde, com pregação apropriada e Unção comunitária dos Enfermos (doentes e idosos) como forma dinâmica de evangelização.