Pastoral Familiar

Missão

Evangelização e promoção humana e social da pessoa e da família, fonte de vida e construtora da paz.

O que é.

Diante da conjuntura internacional e das pressões políticas e culturais que afetam a família, a Igreja, continuadora do projeto de Jesus, solicita a seus fieis que se ajudem mutuamente e busquem agregar os mais prejudicados e muitas vezes afastados, para que sejamos de fato o rebanho do Senhor. A família como célula do organismo social, onde cada ser humano adquire sua identidade como tal, é a mais ferida com o bombardeio de fatos e informações que quase sempre atende a uns poucos em detrimento da maioria. E assim os valores vão se invertendo, as condições básicas de vida morais e materiais se esvaindo e a dignidade humana sendo perdida em prejuízo para toda a sociedade e provocando dispersão no rebanho do Senhor.

A Pastoral Familiar é a resposta da Igreja às dificuldades das famílias hoje. É um serviço de apoio à família para que esta, a partir de sua realidade, possa existir e viver dignamente, crescer em seus relacionamentos e formar as novas gerações conforme o plano de Deus. Isto faz com que a abrangência da sua ação seja muito ampla e diversificada determinando sua organização e evidenciando a necessidade de cooperação com as outras pastorais, movimentos e organismos dentro e fora da Igreja. Esta necessidade dessa articulação cresce e diversifica na proporção que enfoca questões político-sociais.

De acordo com o Diretório da Pastoral-2005, da CNBB, a proposta da Igreja é de “uma ação decidida para promover a família, Igreja doméstica e santuário da vida.” A ação da Pastoral Familiar é orientada e organizada pela CNBB em todo o Brasil mas tem amplitude internacional.

Objetivos

  • O objetivo é fortificar a família tornando-a sujeito e agente da evangelização e formação ética e promotora do bem estar próprio e da comunidade.
  • Transformar a sociedade pela obra de evangelização humana e cristã.
  • Defender e promover a vida e o amor, como valores essenciais da dignidade humana.

Finalidades

  • Desenvolver a consciência de que o existir e viver dignamente, é direito e dever natural e inviolável da família.
  • Despertar a consciência de que a família baseada no matrimônio cristão é a primeira e mais importante escola de humanismo, de vivência comunitária e social. É o primeiro núcleo evangelizador.
  • Formar clara consciência de que o matrimônio é para o bem dos cônjuges e para a geração e formação da prole.
  • Criar a consciência de que a família é recurso para a pessoa, para a Igreja, para a sociedade e para o Estado.
  • Inserir na vida familiar como valores pessoais, para o bem dos seus membros, os valores evangélicos de relacionamentos.
  • Refletir com as famílias sobre os problemas por elas vividos e identificar suas causas e conseqüências.
  • Despertar e/ou aprimorar a consciência comunitária e a ação missionária na família.
  • Motivar a família para evangelizar famílias.
  • Promover oportunas articulações dentro e fora da Igreja para atingir os objetivos da Pastoral Familiar.
  • Testemunhar o valor do sinal sacramental.
  • Apoiar as famílias na educação da sexualidade.
  • Difundir o valor da família cidadã.
  • Acolher as famílias em situações especiais.
  • Preparar as pessoas para o matrimônio e vida conjugal.
  • Constituir equipes, formar, planejar e executar atividades da Pastoral Familiar e sempre que oportuno compor com as demais pastorai e movimentos religiosos recursos para desenvolver atividades de interesse comum.

Área de atuação

A Pastoral Familiar age basicamente, em três campos ou etapas:

  • Pré-matrimonial com atividades que visam prepara as pessoas para constituírem famílias. Este setor está ligado à catequese de crianças e jovens, grupos de jovens, encontros para namorados, encontros de noivos, acompanhamento de casamentos, etc.
  • Pós-matrimonial com atividades que buscam atender as famílias já constituídas como: serviços de evangelização para casais, visitas às famílias, aconselhamento, abordagem de temas relativos à defesa da vida (planejamento familiar, aborto, eutanásia, sexualidade, etc.).
  • Casos específicos com atividades que buscam a evangelização das famílias que se apresentam com estruturação diferenciada. Mães e pais solteiros, uniões livres, batizados em segunda união civil, etc.

Quem são os agentes

  • Toda a comunidade eclesial, tomada em sua globalidade, é agente da pastoral familiar. Há porém, aqueles que concretamente têm responsabilidades nesta pastoral,
  • qualquer pessoa, homem ou mulher, pai ou mãe, juntos ou separadamente,
  • pessoas divorciadas que não tenham contraído nova união,
  • viúvos e viúvas,
  • solteiros e solteiras,

que tenham sensibilidade relativa à necessidade de se fazer algo em favor da construção ou reconstrução de famílias para que sejam sadias física, social e espiritualmente.

Participe!

Reuniões: Segunda 3ª feira de cada mês no Salão do Rosário às 19h